QUASE AURORA

E-mail

HOME       SOBRE       CONTATO

YOUTUBE, TER OU NÃO TER? EIS A QUESTÃO


Em 2013 eu tinha um blog que estava crescendo num nível muito bom. Lá eu falava sobre beleza, tendências de moda, escrevia textos, compartillhava meu ‘look do dia’, resenhava livros e gravava vídeos. Eu AMAVA fazer tudo aquilo, mas exigia muito de mim e após um tempo de exaustão decidi que não queria mais ter blogs, eu já não amava mais fazer vídeos ou escrever.

O tempo passou e eu senti saudade de ter o meu lugar na internet, foi então que em 2015 resolvi ressuscitar o blog, mas só em 2016 ele se tornou o Quase Aurora e o que é hoje. Sobrevivemos a longos hiatos, minhas mudanças de humor, minhas crises mentais e muitas outras coisas que não compartilho aqui.

Quando falei que viria para Inglaterra, uma amiga deu a ideia de gravar vídeos e a princípio eu pensei ser uma boa ideia, mas só no meio da viagem decidi levar a diante. Pois bem, gravei vídeos e estou gravando, mas parece que os anos sem sentar para falar com a câmera me fizeram perder o jeito, sei lá... não me sinto mais confortável como antes, entende?

Esse desconforto me fez querer deletar os vídeos que gravei, mas depois pensei “eu não preciso ser da turma do YouTube, mas esse conteúdo também serve pro blog”.

É engraçado como podemos mudar em 5 anos. O que eu amava e me sentia confortável fazendo já não faz mais sentido, o que detestava agora amo... é um pouco confuso pra mim lidar com essas descobertas sobre eu mesma, mas também é interessante. 

Me conta, qual foi sua mudança mais surpreendente nos últimos 5 anos? O que você amava e agora detesta e vice-versa? Deixa nos comentários e vamos papear por lá!

Por fim, deixo aqui o primeiro vlog da viagem mostrando um pouco dos primeiros dias em Eastbourne. O segundo vlog também já está no ar e você pode assistir clicando aqui. 






O QUE MUDOU?

Ainda não sei se muita coisa mudou em mim. Talvez eu não consiga ver porque divido habitação comigo mesma, talvez alguém de fora consiga ver melhor, mas enquanto não descubro, compartilho as pequenas mudanças que aconteceram no meu guarda-roupa após um mês e meio na Inglaterra.


Primeiro de tudo, eu sabia que precisaria de um casaco de frio e até comprei um que é ótimo para dias chuvosos, mas nunca me imaginei em um como o da primeira foto! Sempre achei elegante demais, principalmente pra mim que sou mega básica nas escolhas de roupa. 
Acontece que o bendito casaco (que tem um nome específico que não sei), estava por £12 em um brechó e segundo minha tia, eu tinha que comprar porque ele custa em média £200/300 nas lojas, era de uma marca boa, estava novo e era do meu tamanho! Vesti, olhei no espelho fiquei com a incerteza, saí da loja sem ele é depois voltei para comprar. 
Demorei semanas para usá-lo e acho que esse look ficou perfeito! As fotos de Londres ficaram ainda mais bonitas por conta dele e recebi muitos elogios que deixaram meu coração mais quentinho e alegre.





TPM, SAUDADE E UM MÊS NA INGLATERRA


Talvez hoje não seja o melhor dia para estar fazendo esse post. A TPM chegou alguns dias adiantada, meu corpo começou a reter líquido e ainda está dolorido do passeio que fiz no sábado (29), estou um poço de sensibilidade, mas achei esse mix de coisas um bom motivador para escrever esse post.

Hoje (01/10/2018) faz 33 dias que estou na Inglaterra. Posso dizer que estou morando? Pra mim quem passa um mês fora da sua casa, tendo o mesmo tipo de vida em outro estadou ou país já pode dizer “morando”. 

Enfim.

Quando penso nisso, que já faz um mês que estou morando na terra da rainha, um mix de sentimentos invade minha mente. Não sei bem como explicar e talvez se não fosse a TPM saberia explicar com todas as letras, mas hoje tá difícil pra caramba! Estou me sentindo muito feliz e ao mesmo tempo muito triste.

Feliz por ter essa oportunidade incrível de estar aqui, de conhecer uma cultura completamente diferente, por estar estudando e conversando em outro idioma, por estar na casa da minha família e me sentir em casa... mas triste porque mesmo depois de 33 dias não tenho nenhum amigo. E nossa, é horrível dizer isso. Explico porquê.

Brasileiro (pra mim) (também é) sinônimo de aconchego. Somos um povo simpático e acolhedor, gostamos de conversar, de dividir a vida (alguns até demais), gostamos do toque. Europeu não. Aqui ninguém gosta de ter seu espaço invadido e só a possibilidade de você quase esbarrar em alguém já é motivo pra pedir desculpas - e hoje isso quase aconteceu comigo e achei que ia apanhar na rua. Sério! 

Sou uma pessoa carinhosa (apesar de algumas pessoas falarem que não, tenho meu jeito de demonstrar amor e carinho). Gosto de abraçar - E MUITO! Assim mesmo, gritando. Abraços são cruciais pra manter minha vida em ordem e isso minha gente... não se vê por aqui. Ou seja, estou sofrendo! 

Acho que eu só percebi o quanto sentia falta disso depois que chegou mais duas alunas novas na minha sala hoje. Antes éramos: três espanhóis, três japonesas (mas que só fazem aula comigo duas vezes por semana), uma coreana, um taiuanês e uma francesa. Os asiáticos aqui formam seus grupos e costumam sair só entre eles, os espanhóis no intervalo falam em castelhano, então eu me juntei com a francesa, fui tentar construir um coleguismo (nem pensei em amizade porque isso já é difícil no BR), mas agora chegou mais uma francesa e estou naquela de “será que vou ficar alone?”. 

Tenho o defeito de sofrer por antecipação e acabo ficando um pouco ansiosa por conta disso.

Eu sinto falta do calor humano e sempre que a segunda-feira chega eu penso “por favor, que apareça um estudante brasileiro”, mas a vida tá sempre querendo rir da minha cara e traz gente de tudo que é canto. Por um lado isso é bom, já que sou forcada a falar apenas em inglês, por outro lado me faz sentir meio perdida quando todos se juntam pra conversar ou sair.

Segundo minha irmã, isso prova que eu não conseguiria morar definitivamente aqui, já que eu sou dependente do toque e da alegria que só a gente brasileiro tem e sabe como é. Segundo minha tia, talvez eu precise arrumar um namorado e sair mais... KKKKKKK - rindo pra não chorar.

Eu nem sei bem se esse post pode ter passado algum sentido pra vocês, afinal, os hormônios deixam os sentimentos confusos. Essa semana será muito louca, muito intensa e muito chorosa. Talvez no fim dela eu venha aqui dizer que tudo isso que escrevi já não faz sentindo nenhum porque estarei ótima! 

Ou não... vai que?!




COISAS PARA FAZER ANTES DE MORRER

Um agradecimento especial para Bruna Morgan e sua lista de 642 coisas sobre as quais escrever. Nos momentos de falta de criatividade corri para lá e fiz alguns posts aqui (com títulos diferentes, mas conteúdo com base nas dicas). Todo amor do mundo pra você

ilustração

E se tem uma coisa que é certeza nessa vida é que todo mundo morre. Muita gente não gosta de falar sobre isso, mas acho que deve ser algo tratado com naturalidade, afinal, quem nasce... morre. Fazer o quê? Pensando na brevidade que é a vida e em sua fragilidade, sempre quis aproveitá-la ao máximo e ser feliz sempre que possível! Por isso, aqui vai minha lista de coisas para fazer antes de morrer!

⤿ Pular de paraquedas 
Sou um pouco medrosinha, mas gosto da adrenalina provocada por essas coisas radicais. Não sei quando reunirei coragem para fazer tal coisa, mas espero que seja antes de dar o último suspiro!

⤿ Ir à Orlando
Não tenho muito interesse nos Estados Unidos, mas Orlando é meu sonho de princesa, kkkkk. Eu amo parque de diversões loucamente e quando morava no Rio aproveitava para ir sempre que podia, mas infelizmente nunca consegui ter altura suficiente para ir na montanha russa do Terra Encantada, por isso que morro de vontade de ir no Busch Gardens.

⤿ Ter uma coleção de lingerie
Uma vez sonhei que tinha aberto uma loja e desenhava as lingeries que vendia, desde então tenho essa chama aqui dentro, mas como não sei fazer um círculo... quem sabe?

⤿ Abrir uma ONG
Na rua lateral a minha existem vários gatinhos e sempre aparece uma moça dando comida e água para eles de manhã cedinho. Outras pessoas fazem o mesmo e um vizinho até deixa eles dormirem em sua casa, mas vocês sabem que animal de rua não é castrado e gato geralmente tem 4 filhotes de uma vez. Meu sonho sempre foi ter um lar para gatos abandonados e espero muito poder realizar isso.

⤿ Fazer um mochilão pela Ásia
Não tenho dinheiro, mas vontade tenho pra dar e vender! 😂😂😂 Diferente da maioria das pessoas que fazem mochilão pela Europa, sempre quis tirar um período para conhecer: Coréia do Sul, Japão, China, Maldivas, Sri Lanka, Filipinas, Indonésia, Tailândia, Israel, Jordânia, Líbano e Turquia.

⤿ Escrever livros
Romances principalmente. Alguns inspirados em mim, outros em pessoas próximas e outros ficcionais e pra isso tenho muita vontade de fazer o curso de Escrita Criativa para que as palavras e imaginação fluam como água corrente.

⤿ Ter uma pequena coleção de jóias
Não precisa ser muito, mas aquela que roube meu coração e que eu possa passar para minhas filhas.

⤿ Casar
Apesar de não ser romântica eu gosto do romance e quero um amor pra vida toda! Eu sempre quis construir uma família de cinco ou seis (um filho + dois gatos ou dois filhos + dois gatos), fazer viagens de família com a minha descendência, ter a experiência da gestação e toda pompa do casamento. Eu sempre sonhei em ter alguém pra dividir meus dias pelo resto da vida porque acredito muito no amor!

Claro que eu quero realizar muitas outras coisas, mas a lista ficaria infinita e espero realizar tudo isso antes do meu fim, até porquê morto não faz nada, né? kkkk

| Querida leitora, estou viajando sem meu notebook, por isso esse post teve que ser programado, mas não se preocupe que seu comentário será respondido em breve! 😉




Acompanhe