Quase Aurora | as bonitezas da vida

O que você faz com a má notícia?


Essa semana recebi uma notícia ruim e que me fez ter que adiar alguns planos. Minha maior chateação é saber que algo que era certo ontem, não é mais hoje. E o pior, não afetou somente a mim, mas desconhecidos.

Contando a situação para uma amiga, ela disse: "Isso é o que eu faria, então não faça". Na hora achei engraçado, mas agora parando para refletir, percebi que a maioria dos conselhos que damos são de algo que já fizemos e sabemos que não deu certo e não nos levou a lugar algum. É ou não é verdade?

Eu pensei em chorar desesperadamente com tanta aflição e raiva que estava sentindo, mas isso não adiantaria nada. Agora pense na notícia ruim que você recebeu hoje, essa semana ou esse mês e que você se encontrou no mesmo barco que eu.

A pergunta que me fiz, lhe faço: O que você vai fazer diante dessa situação? Chorar desesperado ou tomar uma atitude?

OK, tem coisas que realmente não estão ao nosso alcance e não nos dá outra opção a não ser sentar e esperar. Faz parte! Aqui vai aquele velho clichê que a vida diz quando meche no nosso roteiro: Se não foi é porque não era pra ser. E é verdade! Pode não acontecer hoje, mas amanhã, vai que acontece?! O que importa agora é o seu e o meu posicionamento diante da má notícia. O que fazemos com ela determinará nossos planos futuros.

Então, se você está na bad, vem cá, segura minha mão e juntos vamos dar a volta por cima. Afinal, más notícias, mudanças de planos, percas e problemas ajudam a nos fortalecer, a encarar nossos limites e provar para nós mesmos que conseguimos!




Você precisa assistir Age of Youth

Quando o assunto é drama coreano sou meio suspeita para falar porque amo, mas pode confiar que você vai adorar essa indicação!


Age of Youth também conhecido como Hello, my twenties!  é uma comédia sobre amizade, amor e as dificuldades da vida universitária sobre cinco garotas com seus vinte e poucos anos que compartilham uma casa chamada Belle Epoque. 

O drama tem roteiro muito bem trabalhado e trata de questões tanto do dia a dia como assuntos mais polêmicos. O que me surpreendeu bastante, pois até então nunca tinha assistido um drama que falasse sobre.

São 12 episódios com duração de uma hora, eu sei, você vai achar muito tempo, mas vai por mim, você vai querer ver todos de uma vez. Além de brigas entre elas, rola um suspense e muitos segredos que aos poucos acabam sendo revelados e surpreendendo.

Você vai rir, chorar, querer bater em um personagem, vai prender a respiração com aflição, vai ter um ataque de fofura, enfim, você vai amar e desejar ardentemente uma segunda temporada o que é beeeeem difícil se tratando de doramas. Mas vem cá conhecer as personagens.


Yoon Jin Myung trabalha em lugares diferentes para pagar seus estudos e tem pouquíssimo tempo livre para lidar com os dramas que acontecem na casa. Logo no primeiro episódio ela se apresenta dura e indiferente. Ela é a personagem mais sofredora, mas que tem um coração enorme!


Song Ji Won é a mais divertida de todas! Estudante de jornalismo, é doida para arrumar um namorado, ama beber, defensora das amigas e muito, mas muito mentirosa. Quando ela está em cena não tem como você não rir.


Jung Ye Eun é loucamente apaixonada pelo namorado, um cara que definitivamente não merece um pingo de seu carinho. Fala o que pensar, uma das mais vaidosas da casa, vive bem arrumada e num mundo cor de rosa.


Kang Ye Na causa inveja em todas com seu belo corpo e conquista todos os homens, mas sua vida fácil esconde um segredo que deixa a casa em choque ao ser descoberto. Talvez no começo você até a ache meio vazia, mas no fim percebe que ela é super amiga.


Yoo Eun Jae é a recém chegada na casa e o primeiro episódio é narrado por ela. Super tímida e com uma áurea de mistério ela se sente culpada por algo... Odeia confrontar as pessoas e você vai ter mini ataques de fofura com ela e seu par romântico.



O roteiro apesar de simples é muito bem elaborado e consegue prender muito fácil. O que é ótimo. Você também vai amar a decoração da Belle Epoque, ou melhor, vai querer morar naquela casa. Ao final de cada episódio, rola um tipo de entrevista com os personagens. Achei essa ideia genial!

E para a alegria de geral que não tem conta no Dramafever, a série está disponível no Netflix! O nome lá está como Hello, my twenties! Se você já assistiu me conta aqui nos comentários e quando assistir, volta aqui pra me contar se curtiu.


Um beijo enorme 💛




Está tudo ficando meio confuso


Faltam 59 dias para eu fazer 23 anos. Me sinto completamente perdida a começar pelo meu TCC. Eu tinha em mente um projeto desafiador, mas que minha orientadora atual disse que não daria mais tempo. A base continua sendo a mesma, a fórmula que foi levemente alterada e mais simplificada e o problema é que deixando as coisas mais fáceis eu me sinto mais perdida.

Minha mãe acha que devo fazer algo sobre cinema, já que sou consumidora ávida de filmes e gastos alguns bons reais em ingressos, mas aí é que tá: cinema é amplo demais! Ok, meu tema também não é dos mais fáceis - prostituição -, mas ao menos eu sei para onde ir. Quer dizer, sabia... Agora me sinto perdida.

Tem momentos que me considero velha e em outros nova. "Respira fundo! 23 não são 32" repito até virar quase um mantra, mas o real problema é que minha vida não está nos trilhos, entende? Eu não conquistei 1% do que queria, ou melhor, 0,5% e isso tem me deixado tão frustrada que tem afetado todas as minhas outras áreas.

Tem dias que acordo mais perdida do que cego em tiroteio e tenho um relâmpago de lucidez que diz "tudo bem, é normal se sentir perdido aos vinte e poucos anos". Mas eu não quero me sentir perdida! Falta tão pouco para eu ser definitivamente jornalista e eu não faço ideia em qual área do jornalismo quero atuar.

Cada dia que passa eu me vejo afundando, perdida no meu mar de dúvidas e incertezas. De vez em quando bate a bad e eu não tenho ânimo pra nada. Quando me perguntam sobre meu sumiço digo que ando cansada, o que não é uma mentira. Eu tô cansada dessa vidinha meia boca, sem ter nada que me cause a sensação de frio na barriga que eu adoro.

Tô mais perdidinha do que a música da IU, na realidade eu acho que essa será a música tema do meu aniversário. Ano passado foi 22 da Taylor, bem animado e alegre, mas agora tá tudo ficando meio confuso e perdido. Ou talvez eu só precise de férias, viajar por uns longos meses sozinha para um lugar novo e pensar na vida. O problema minhas lindezas... é que no momento não posso me dar esse luxo.