QUASE AURORA | compartilhando as bonitezas da vida: A TAL DA EXPECTATIVA

E-mail

HOME       SOBRE       CONTATO

A TAL DA EXPECTATIVA

Nós temos essa mania de idealizar alguém, de colocar muitas expectativas sobre ela ou de construir uma vida perfeita na nossa imaginação quando se trata de relacionamentos. Nos afundamos naquilo que mais desejamos e quando não temos o retorno ficamos frustrados.
E temos a péssima mania de colocar a culpa no outro. A culpa pelas coisas que nós criamos, pensamos e desejamos fosse, e assim, nos tornamos a vítima e não o vilão. Mas sabe o que acho? Que cada ambos tem um pouco das duas coisas.
Criamos expectativas porque queremos criar e somos defraudados emocionalmente - algumas vezes -  porque também queremos e outras sem perceber. É um ciclo vicioso essa coisa de querer que alguém seja o que nós queremos, mesmo sabendo que ela nunca será.
E é difícil perceber que quem nós tanto amamos não é nada do que imaginamos. É difícil abrir mão daquela idealização, dessa paixão que temos pelo outro.

No final das contas, a fantasia começa a ruir e aos poucos vamos enxergando que essa vida perfeita não existe e que precisamos parar de buscar alguém perfeito simplesmente pelo fato de que não somos.

Não adianta criar expectativas sobre algo que só conseguimos descobrir a fundo quando decidimos ir mais fundo sem pré conceitos e desejos. É sem tudo isso e mais um pouco que depois de um tempo nos surpreendemos com alguém que não superou nossas expectativas, mas nos surpreendeu com a beleza de ser quem é.

Viver de expectativa é viver de ansiedade e correr o sério risco de se decepcionar. E vai por mim, é mais rápido - e melhor - aceitar essa realidade do que curar o coração partido.




2 comentários:

  1. Tenho aprendido a não idealizar e a não criar expectativas nas pessoas, seu texto está muito correto, e tenho conseguido me decepcionar menos

    Com amor, ♥ Bruna Morgan

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar ❤

Acompanhe