QUASE AURORA | compartilhando as bonitezas da vida: SÃO 24 ANOS E NÃO 24 DIAS

E-mail

HOME       SOBRE       CONTATO

SÃO 24 ANOS E NÃO 24 DIAS

Quem me acompanha em alguma rede social (instagram ou twitter) viu que sábado (05) foi meu aniversário, por isso não tivemos post aqui. Planejava fazer uma nova lista de 24 coisas que aprendi com 24 anos, como fiz aqui nos meus 22, mas achei melhor falar um pouco sobre o sentimento de ser adulta, de estar mais perto dos 30 do que dos 18.


Acho engraçado essa coisa de se intitular "adulto". Quando sabemos realmente em que fase da vida estamos? Adolescência, juventude, vida adulta, velhice... Quem diz em qual lugar estamos? Falam por aí que quando temos nosso primeiro boleto para pagar com nosso próprio dinheiro já nos tornamos adultos. Será mesmo? Se for assim, me tornei adulta antes de entrar na faculdade.

É estranho fazer 24 anos. Parece que o peso da vida e das responsabilidades que ela traz dobraram de tamanho e peso e senti isso vinte e quatro horas depois de ouvir "Parabéns!". Parece que a vida começou a escorrer pelos meus dedos, que o tempo está mais rápido, que os sonhos de adolescência não funcionam mais agora e que se eu desistir de algo estável vou cometer a maior loucura.



Sinto como se as pessoas quisessem algo de mim o tempo todo, responsabilidades demais, comprometimentos demais, foco demais, tudo demais enquanto quero ir com leveza em um mundo que não para, está sempre girando com pessoas correndo de um lado para o outro, contra o tempo e contra a idade. Pessoas velhas querendo ficar mais novas, pessoas novas não querendo envelhecer, mas carregando os mesmos pesos e cobranças.

Cresci com meu pai dizendo que a vida não me espera acordar às 10h da manhã, que ela não para e sou eu que preciso acordar para a vida, mas por mais que eu tenha mudado, esteja acordando mais cedo, vivendo só para trabalhar, parece que não estou acordada, que as coisas não estão acontecendo... É um mix de sentimentos que não consigo explicar bem.


Me olho no espelho e vejo um coração de menina, em outro espelho vejo uma mulher e em outro vejo uma alma quase idosa. Enxergo três fases em mim ao mesmo tempo e não sei responder ao certo o que me faz ser ou deixar de ser adulta.

Ainda não sei o que quero fazer no futuro, tem horas que me sinto perdida, então apenas trabalho e deixo que os dias passem. Em poucos anos terei 30 e me pergunto onde quero estar quando chegar lá. Não tenho medo de envelhecer, até gosto de ficar mais velha, mas tenho medo de deixar os anos passarem sem viver e realizar tudo que um dia quis e quero.

E resumindo, foi isso que aprendi ao longo desses 24 anos. Os anos passam e muitas vezes você não tem certeza de nada, só aumentam as perguntas sem respostas, nem todo mundo se torna seguro de si com uma idade X, nem todo mundo se sente adulto, nem todo muitas coisas e assim é a vida.




2 comentários:

  1. Eu digo que atingi a vida adulta quando comi brócolis e gostei hahaha (isso foi ano passado), mas faltando mais ou menos 2 meses para os meus 24 anos, me sinto bem parecida com os seus sentimentos. Conheci teu blog no grupo "Se organizar, todo mundo bloga" e te indiquei para responder uma tag: http://www.lu.blog.br/2018/05/liebster-award-20.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKK já eu comi e não gostei! Obrigada pela indicação, irei responder sim!
      Beijo enorme ❤

      Excluir

Obrigada por comentar ❤

Acompanhe