QUASE AURORA : PRIMEIRO ANIVERSÁRIO SEM MINHA MÃE

E-mail

HOME       SOBRE       CONTATO

PRIMEIRO ANIVERSÁRIO SEM MINHA MÃE

Como vocês sabem (ou não), minha mãe faleceu no dia 11 de agosto de 2021. De lá pra cá, tenho vivido os altos e baixos do luto. Alguns momentos são fáceis e outros dolorosos demais, como por exemplo, meu aniversário.

Sempre gostei de celebrar e isso veio da minha mãe que sempre amou uma festa. Até mesmo quando não tínhamos boas condições financeiras, ela fazia o possível para não passar nossos aniversários em branco e dava um jeito de nos presentear com algo. Quando eu não queria fazer absolutamente nada, o que acontecia era só um bolinho em família, mas jamais existiu não fazer nada.

Esse foi meu primeiro aniversário sem ela e o primeiro que disse que não faria absolutamente nada. Primeiro porque estava desanimada e segundo porque estava com pagamento atrasado - consequentemente, sem dinheiro. Mas Deus é bom e um Pai zeloso.

Na noite anterior, estava voltando para casa com meu pai e quando entrei, lá estava uma amiga com bolinho e salgadinhos gritando "SURPRESA!" junto com minha irmã. Chorei e choraria mais se ela não tivesse me pedido para parar. Celebramos, compartilhei algumas frustrações de trabalho, assistimos um filme e às 6h da manhã ela foi pra casa.

Na quinta-feira, 05/05, meu dia perfeito, resolvi pintar o cabelo de rosa. Em seguida, fui almoçar com meu pai, irmã e uma amiga querida que quis me pagar um almoço de comemoração. Enquanto estava no restaurante, recebi a mensagem de um amigo me chamando para tomar café da tarde com a família e à noite, célula com bolinho para mim e Nathália (que fez aniversário no dia seguinte).

Ganhei presente de alguém que eu nem esperava, de amigos que só conheço virtualmente e muito, muito amor. Recebi palavras de força, palavras que reforçavam quem eu sou como pessoa e quem eu sou em Deus. Isso me ajudou a seguir de pé naquele dia, porque foi muito doloroso celebrar sem ter minha melhor pessoa do meu lado. 

Foi mais doloroso ainda, três dias depois, não ter mãe para dizer "feliz dia das mães" e amanhã - mais dias depois, vem a data da contagem de falecimento (9 meses). Pro resto da vida meu mês será assim. Pro resto da vida terei que aprender a lidar com o turbilhão de emoções que sei que viverei.

Estou vivendo um dia de cada vez - os planos nunca são a longo prazo - e faço o que ela me fez prometer, viver a vida buscando motivos para amá-la

Tem minivlog lá no canal mostrando um pouquinho do aniversário do meu pai, meus dias e meu aniversário. Sobre o cabelo rosa, falo disso outro dia.





Postar um comentário

Obrigada por comentar. Responderei o mais rápido possível. ❤

Acompanhe